segunda-feira, outubro 15, 2012

Porquê nós?


Existem muitas empresas de consultoria. Podemos demonstrar numa breve análise o que nos torna diferentes. 

Apresentamos sete razões para estabelecer uma parceria com a ASCMI.
  1. Entendemos de marketing, gestão e de tecnologias de informação. Percebemos como estas disciplinas são importantes para alcançar os seus objectivos de receitas e estabelecer a suas metas de lucro.
  2. Temos um histórico comprovado de fornecimento de resultados com sucesso aos nossos clientes. Podemos comprová-lo através das nossas referências.
  3. Nós somos especialistas na geração de tráfego no seu negócio e obtenção de vendas. Poderá ter muitos potenciais clientes a visitar o seu negócio, mas se não fizerem pedidos de informação ou comprarem os seus produtos, isso não lhe permite obter resultados.
  4. Nós falamos a linguagem dos negócios, das vendas e do marketing. Não nos expressamos através de termos técnicos ou de siglas. Queremos ter a garantia de que o que falamos é entendido.
  5. Baseamos os nossos conselhos e decisões na optimização da análise baseada em métricas e dados. Não actuamos com base em palpites ou preconceitos.
  6. Nós não vamos pressioná-lo com um contrato de longo prazo. Nós acreditamos que se fornecermos resultados com valor superior aquele que lhe vamos facturar, de certeza que continuará a dar preferência à prestação dos nossos serviços.
  7. Poderá testar as nossas competências sem risco através da nossa garantia de satisfação. Garantimos a devolução do pagamento da sua avença mensal ou do valor do seu contrato se nos apresentar uma razão de insatisfação que não possamos ultrapassar.

domingo, outubro 14, 2012

Os principais problemas das empresas

Com base na análise da situação económica actual provocada pela crise de endividamento do país, tendo em conta a instabilidade social gerada pelo desemprego e baixos rendimentos da população, enumeram-se os  principais problemas que as empresas enfrentam:


  • Elevada carga fiscal - O aumento da taxa de IVA sobre o consumo provocou um aumento no valor a despender pelos consumidores e diminuiu a competitividade das empresas perante os mercados. Segundo a lei da oferta e da procura, o aumento do preço faz diminuir a procura. Esta evidência básica foi subestimada pelo governo do país colocando a economia numa situação de recessão. As empresas precisam de efectuar uma eficaz gestão de produto de modo a identificar os produtos com maior potencial de gerar receitas e livrar-se dos "monos", ou seja, procederem à selecção dos produtos com uma saudável rotação de stocks. 
  • Falta de financiamento de capital - Com o aumento do incumprimento por parte das empresas e com o esforço de aumento de capital das instituições bancárias o acesso a financiamento de capital encontra-se drasticamente reduzido. Algumas empresas tentam estender o prazo de pagamentos a fornecedores, utilizando os seus fornecedores como financiadores, mas esta actuação torna-se numa bola de neve que mais tarde ou mais cedo leva ao corte de fornecimentos, a cobranças difíceis, a recuperação de clientes incobráveis e consequente paragem no processo de entrega atempada de produtos ao consumidor final. O aumento do prazo de venda dos produtos passa a ser significativamente superior ao prazo de pagamentos a fornecedores, o que aumenta as necessidades de financiamento. De novo se evidencia a necessidade de fazer uma boa gestão de produto para trabalhar os produtos certos e de alta rotação.
  • Elevados custos de crédito - as situações atrás enunciadas levam a que as empresas incorram com frequência em descobertos bancários sobre os quais são cobradas elevadas taxas de descoberto e juros associados à situação. Evidencia-se a necessidade de proceder a uma rigorosa gestão financeira e a uma análise detalhada dos custos da empresa e à avaliação de como cada um deles contribui para a geração de receita. Por vezes as empresas cometem o erro grave de cortar em investimentos que contribuem significativamente para o aumento das vendas, tais como a publicidade, a assistência informática e a consultoria de marketing.
  • Dificuldade de planeamento - A instabilidade social a nível nacional e a ausência de medidas a nível europeu tendentes à dinamização da economia leva a que as empresas não consigam planear a médio prazo e acabem numa luta sem sucesso para se manterem à tona. Como poderá uma empresa investir na criação de postos de trabalho se não consegue ter indicadores positivos que lhe permitam ver uma luz ao fundo túnel? A obtenção de aconselhamento e acompanhamento (coaching and mentoring) no planeamento estratégico será uma importante ajuda para evitar o colapso.
  • Dificuldade em encontrar mão de obra especializada - Embora exista uma elevada taxa de desemprego não é fácil contratar pessoal. Ao longo dos últimos anos não houve investimento por partes das entidades envolvidas (trabalhadores, empresas e Estado) na formação especializada de quadros técnicos. Todas as famílias investiram em formações de nível superior para os seus filhos, de modo desenquadrado com as necessidades do mercado. A maioria das pessoas desempregadas não têm, nem querem ter aptidões para desempenhar um cargo comercial, como por exemplo, o de vendedor. A realidade é que todos os benefícios que uma empresa possa dar aos seus empregados estão dependentes das receitas (vendas) que essa empresa possa obter a partir dos seus clientes. Além disso, com reduzidos níveis de rentabilidade, nem as empresas nem o Estado conseguem suportar as regalias do passado. Contudo existe um nível de dignidade que não pode ser ultrapassado. Qualquer necessidade de contratação de pessoal produtivo deve ser efectuada com base em rigorosos procedimentos de recrutamento e gestão de recursos humanos, investindo em capital humano e abandonando o recurso a trabalho temporário.
  • Baixo nível de formação dos empresários - A maioria das pequenas empresas não têm gestores à altura de implementar técnicas de gestão eficazes porque não as conhecem. A legislação tem vindo a forçar a implementação de tecnologias de informação que ajudam na gestão das empresas, na análise das vendas, na selecção dos produtos mais rentáveis, na identificação dos clientes importantes e no combate à evasão fiscal. No entanto continuamos a encontrar empresários que perguntam se na sua registadora com vinte anos pode ser instalado software certificado. Ou estes empresários investem rapidamente na sua formação através de aconselhamento e acompanhamento de um profissional de marketing competente ou sujeitam-se à consequente regra da selecção natural.
As tarefas acima indicadas podem ser facilitadas com a ajuda de profissionais especializados, tais como um consultor de informática ou um consultor de marketing. Estes profissionais podem ser contratados pontualmente para analisar um problema específico da empresa ou através de uma avença mensal em que o profissional guiará o empresário num planeamento estratégico para ir ultrapassando as adversidades e investindo no futuro. Os investimentos com estes profissionais contribuem significativamente para a geração de novas   receitas e incremento das vendas. Alguns destes profissionais disponibilizam consulta online para colocação de questões iniciais relativamente aos problemas das empresas.

Pedir uma reunião